domingo, 9 de agosto de 2009

Quando você viu seu pai pela última vez?!?!

Então hoje é dia do meu pai, do seu, dos pais...

Pensei em tantas coisas pra escrever aqui, mas nada que me tocasse profundamente.

Mas, quem procura sempre acaba achando... Então aí está:

Um trailler que resume a relação com meu pai... Com início, meio e fim idênticos.

Não se surpreendam com esse tipo de relação, pois há filhos que desconstruíram a imagem que faziam dos próprios pais. Seus super heróis não foram tão super assim, eles tiveram fraquezas, defeitos e um comportamento que, se um dia provocou algum orgulho, puderam vir a nos envergonhar.

Alguém consegue passar batido por essa mudança radical de perspectiva?? Bom, eu não consegui e passei a aceitar a figura do pai anti herói...

Meu pai partiu desse mundo há menos de 02 anos.

Viveu seus últimos meses de vida tentando resgatar parte dos seus erros.

E foram os dias que mais o admirei....

7 comentários:

Déia disse...

Me emocionei muito com seu post!

Meu pai tb errou, talvez por não saber fazer de outro jeito! Ou talvez soubesse, mas não fez...
Sei que não adiantam meus julgamentos...e tenho que conviver com a cicatriz deixada dessa relação!
Acabei de ligar e desejar feliz dia dos pais...mas eu o ví na páscoa pela última vez...

Esse pos daria uma sessão de terapia rs

bj

compartilho sua dor e me emociono com suas palavras, mas pq será que eles correm atras do prejuízo só no fim.. qdo n da mais tempo?

Dirce disse...

Querida Dri, seu post é perfeito. A delicadeza da sua história então é de comover, claro que eu chorei, né? Mas não de tristeza, pelo contrário, porque você mostoru que sempre dá tempo da gente resgatar as pessoas e o sentimento de amor que temos por ela. Pena que seu pai se foi, mas pelo menos a memória que ficou dele foi admirável, como você mesma disse.
Eu não tenho grandes problemas com o meu paizinho, só aquelas briguinhas de vez em quando, mas nada demais. Ainda bem
Enfim, te admiro garota.
Milhões de beijos da Gel

In Pressões disse...

Acredito que nossos pais eram meio parecidos, exceto pelo fato dele ter morrido sem ter resgatado - não sei se tentou - algum erro. A última vez que eu o vi? Na minha festa de 15 anos, dançando valsa comigo. Muito doentinho,velhinho, cego de um olho, mas sorridente e muito elegante. E exibido, como sempre! Sinto saudades... Lindo seu blog, me emocionou muito. Bom domingo!

Desabafando disse...

Olha, me identifiquei com seu post, meu pai fez muita coisa errada durante minha criação (e mesmo assim eu tinha a imagem de que ele era um herói), acho que fez as coisas de uma forma tão distorcida, que acabou gerando problemas, traumas e um adulto (no caso eu) com uma criança insegura dentro de mim...mas fazer o que né? Eu não sei se um dia ele vai aceitar mudar, bem que eu gostaria de ver isso!

Francisco disse...

Driii querida!
Tenta sempre lembrar dos últimos dias que vc mais admirou o seu pai.
Com certeza, os erros que ele possa ter cometido, não foram propositais, e sim com já foi dito, por não saber fazer de outra forma.
Perdi meu pai aos 15 anos, e durante muito tempo guardei algumas mágoas sobre nosso relacionamento. Hoje, bem mais velho, comprendo-o perfeitamente.
Lindo post, viu?
Um beijãozão!

Aline DIVÃ DA MULHER disse...

Nunca é tarde para enxergar o que há de melhor em que ás vezes erou e se arrependeu...

Denise disse...

Talvez o erro tenha sido permitir (nesse caso falo por mim) que não fossem criadas pontes no enorme abismos que deixamos crescer entre nós.

Tornei-me por conta dessa parte da minha historia uma criadora de pontes,não me admito,rompendo elos com ninguem que tenha passado,passe ou venha a passar pela minha vida.
Isso de certa forma foi bom,fez-me uma criadora de amigos e bem querer.

mas acredite,o preço do aprendizado foi caro demais.
uma ponte eu não consegui criar.

(perdoe o desabafo)

vc me faz mais e mais sensivel e faladeira rs

beijo
Denise